Wednesday, August 15, 2018

~


é em ti
paixão
onde encontro
a coragem
restante
as certezas
as antecipações
os ímpetos
que me levam
para depois
de ti

triste solidão

lugar 
que não detenho
espaço
desassossegado
aberto
livre
tempo
de amar
finda a tormenta
a bravura
das águas revoltas
o precipício inconstante

amanhã
por quem 
se espera
sempre

estás
porque sei
que existes
porque te sinto
no silêncio
todo
desta casa
na luz toda
que se apaga
na penumbra
consentida

não há palavra
nem gesto
que desmintam
o calor incindível
do nosso sentir
calado

somos
por inteiro
na interrogação
no questionamento
da vida
que só existe
e vale
porque somos
em dois sentidos
de mim para ti
de ti para mim
para o mundo
vivo e enérgico
que é lá fora

e por mais
que se não 
toquem
nossas mãos
e que a distância
seja um
espaço vazio
de nós-corpo
és 
serás sempre
comigo

voz 
sem fim
imaterial
matéria
turbilhão
de razões 
e sonhos
e projectos
que por ti
fazem sentido

orla branda
brisa calma
paixão
crescente
amor-paixão
coragem absoluta

azul claro
manhã inteira

janela
que se não abriu
ante aqueloutro
olhar escondido
(o meu)