Saturday, June 29, 2013

~


foto retirada de olhares (link do autor)


passo em branco
e fora de horas
pela sensação
estranha
de andar perdida
nos fundamentos
irrevogáveis
que aprendi

e nessa procura
nesse final
que tarda
com a manhã
clara e limpa
não encontro nada
além da brisa
quente
que se estende
sobre nós
imperturbável

que espaço
é este
que vazio
populoso
é este
aonde todos
se procuram
e não dão

lugar
do amor
ausente
da demanda
breve
do sonhar
interditado
pela objectividade
fria
dos homens
operantes
e fortes

lugar aonde
é preciso sempre
falar bem
saber estar
em forma
e conformidade
manter a aparência
mostrar o flanco
mais liso de nós
repelir do dorso
as tristezas
sorrir sem vontade

porque sentir
é ser fraco

é perder o barco
da glória inventada
correr riscos
absurdos
recusar o ofício
de viver para fora
estar só
e entender
a insignificância
que nos coube
à nascença
ir ao fundo
da nossa dor
e não encontrar
quem lhe responda

por isso
mentimos
sem pudor
para bem
da aptidão-
-sobrevivência
que nos ensinaram
para a vida

calamos
com promessas
doces
a sinceridade
a verdade
lucente
que é no olhar
ainda vivo 
de criança
a humilhação
de nós

(...)

No comments: