Saturday, February 18, 2012

~

amar o teu sorriso
e o teu sonho
que é o meu sorrir
também

amar a verdade
que é em ti
olhar-te
beijar-te

as palavras
e reuni-las
em sabores
frescos
como o mar
retumbante
de poesia

porque
a solidão
disse-te eu já
um dia
é o que se não
cumpre
nos limites
do que somos
e sentimos
e aceitamos
como válido

amar o teu sorriso
é amar-nos
no sentido último
da acção
do querer bem
que partilhamos
reencontrar-te
na extensão
dos nossos dedos
da nossa pele friável
sentir a música
que é nossa só
no instante
que nos some


onde de ti


1 comment:

Ana said...

Que bom é regressar , depois do longo inverno, e ser recebida com um poema assim !
Saudades, Isabel !
Um beijo *